Espaço Laboral


Conteúdo do site


Titulo

Saiba mais sobre escoliose.

Foto
1. O que é?
A escoliose é um desvio anormal da coluna vertebral para a direita ou para a esquerda. Por conta disso, o ombro direito normalmente fica mais alto do que o esquerdo. A deformidade mais comum é a escoliose idiopática ou primária, cuja origem é desconhecida. Sabe-se, contudo, que o problema afeta mais as meninas e que pode surgir logo na infância. Outros tipos de escoliose são a congênita (consequência de uma má formação da coluna) e a paralítica (que surge a partir de doenças como paralisia cerebral e mielomeningocele, além de distrofias musculares).

2. Sintomas
Na maioria dos casos, a escoliose primária é assintomática. Contudo, dores com intensidade que varia de leve a intensa, além de danos aos órgãos internos, podem surgir em alguns casos. O principal sintoma está na aparência do indivíduo: quando visto de frente, ele parece torto devido à diferença de altura entre os ombros. Há também a possibilidade de a cintura tornar-se desalinhada, bem como de as costas e o tórax ficarem arqueados (gibosidade).

3. Diagnóstico
O problema é detectado em um exame físico de rotina feito pelo seu Fisioterapeuta. Dados como a idade em que o problema surgiu, a presença de dor e sinais neurológicos ajudam a identificar o tipo da escoliose. Já os exames de ressonância  magnética e tomografia computadorizada verificam a possibilidade de acometimento neurológico, enquanto que o raio-x fornece a medida da deformidade e o prognóstico da evolução dela.

O RAIO-X DO DESVIO
A escoliose faz com que a coluna vertebral fique deformada ao ponto de se assemelhar às letras “C” ou “S”. O problema pode ser resultado de um defeito de nascimento ou desenvolver-se com o passar dos anos, especialmente na adolescência.

4. Prevenção
A Fisioterapia como forma de prevenção e algumas recomendações funcionam de maneira preventiva.

5. Tratamento
Varia conforme o tipo da escoliose, o grau dela e a idade do paciente. Aos portadores de escoliose primária com deformidade abaixo de 20 graus, recomenda-se a Fisioterapia. Jovens em crescimento com curvas entre 20 a 45 graus devem utilizar coletes que mantêm a coluna vertebral correta. Acima dos 45 graus, estes aparelhos não controlam mais as curvas. Nesses casos, a intervenção cirúrgica pode ser necessária. As escolioses congênitas e paralíticas têm maiores variações e obedecem parâmetros diferentes para o uso de colete e cirurgia.


Fonte: Portal Fisioterapia 2012

Todos os artigos sobre saúde